MEU ACESSO
CONECTE-SE:
MEU ACESSO

# Blog do Novos Tempos

Colégio Novos Tempos

A mordida é uma ação que traz bastante preocupação aos pais, principalmente, na fase da Educação Infantil, onde o ato costuma ocorrer com mais frequência. No entanto, é preciso entender a fase das mordidas.

Primeira coisa que deve ser entendido, é que a mordida é um ato natural dos seres animais. E o homem está entre as espécies que tem por hábito, principalmente, para se alimentar morder. Então, explicamos isso, para os pais não se assustarem tanto, o que é impossível, quando o filho (a) chega em casa com sinais de mordida.

O psicanalista Sigmund Freud realizou um estudo e definiu que a boca é a primeira parte do corpo que o ser humano começa a dominar, ainda como criança. Assim, Freud considerava um progresso evolutivo, com o aparecimento dos dentes, que inclui os instintos “agressivos”, no caso, o morder como forma natural de desenvolvimento.

Assim, especialistas, consideram a mordida na infância uma ação natural, porém, não para se alimentar somente, utiliza como forma de expressar sentimentos e comunicação. Nesta fase, a criança ainda não domina completamente a linguagem, mas usa a expressão oral como maneira de contato com o mundo que o cerca. É claro que as mordidas fazem parte de um período de desenvolvimento, não significa que as mordidas devem ser ignoradas.

Crianças mordem, porque?

Quando a criança deseja morder o amiguinho, não tem intenção de agredi-lo, porém, obter de forma rápida algum objeto ou chamar a atenção. Assim, estudiosos apontam que as dentadas são utilizadas pelas crianças, para saber qual efeito elas provocam em determina situação. Agora, os pais podem ficar tranqüilos, é que com o passar do tempo, as crianças vão descobrindo outras maneiras de se comunicar e relacionar com o mundo externo, por exemplo a fala.

O que fazer?

A mordida é uma situação constrangedora para os envolvidos. Os pais da criança que mordeu ficam envergonhados; os pais da criança “agredida” ficam chateados. A escola tem o papel de mediar a situação.

Então, o melhor passo a tomar é quando uma criança morder a outra, é essencial que ocorra uma intervenção imediata, principalmente, se tiver um adulto por perto. Nesta intervenção é importante explicar a criança que mordeu, que o ato não foi legal, e que a criança agredida agora está sofrendo, pois morder machuca. Não precisa aplicar um sermão de horas e muito menos morder a criança que praticou o ato. E muito menos comparação com qualquer animal. Leve a criança, que mordeu, até a outra e faço-o ajudar no atendimento da criança agredida, e que ele peça desculpas.

Converse

Pais, quando as crianças aparecerem em casa com uma mordida, principalmente, se estiverem voltando da escola, o melhor a fazer é buscar informação com a coordenação pedagógica sobre o ocorrido.

Não pressione a criança agredida a contar quem fez o ato, pergunte se ela responder naturalmente, ok. Caso fique constrangida ou envergonhada, não insista, faça o contato com a coordenação para entender a situação.

Outra coisa que não deve ser feito é incentivar que a criança morda o colega. Busque o diálogo com a criança, faça isso de forma calma e vá fazendo perguntas sem agressividade.

Caso a criança for à agressora, nada de mordê-la, com a intenção dela sentir a dor do ato. Isso pode estimular mais o sentido de agressividade. O melhor mesmo é explicar que não se pode morder as pessoas.

E nada de comparar a criança a algum animal, muito menos chamar a criança, por exemplo, de cachorro. Você pode explicar que outro animal tem este recurso como instinto natural, e que os homens usam apenas para se alimentarem. Ressalto não chame a criança como se fosse um animal, isso pode causar outro problema.

Evite as mordidas

Se o seu filho tem o costume de morder, é muito importante que o vigie. Tome algumas medidas para que as mordidas não cheguem a ser concluídas:

- Anime o seu filho a conversar e falar com você, através de um jogo, de um desenho, de algum trabalho manual, etc.

- Quando o seu filho estiver brincando com outra criança, esteja sempre atento a ele. Vigie o seu comportamento e oriente a forma de brincar entre eles.

- Ensine ao seu filho a compartilhar. Ele deve entender que ser amigo é também compartilhar.

- Ensine ao seu filho a esperar. Evite situações que possam irritá-lo ou cansá-lo, com freqüência.

Fonte: www.fonoterapia.com.br

02/03/2015 09:03:03
« Anterior |  [1] Próximo »
INSTITUTO EDUCACIONAL NOVOS TEMPOS - IENT - Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.
Av. Prefeito Gil Diniz, 373 - Centro - Contagem / MG - Cep: 32013-650 - Telefax: (55 31) 3391-6097 - ient@ient.com.br
Toque Web - Desenvolvimento Web